sábado, maio 08, 2004

A cidade

uma cidade sobrevive da entreajuda de todos os que a habitam. Cada um tem a sua função. Se o padeiro fica doente a cidade passa fome, se o professor falta, as crianças não aprendem, vão para casa e os pais desesperam e, por vezes, faltam ao trabalho para poderem tomar conta deles. Deste modo mais profissionais vão faltar e, súbitamente, a cidade torna-se caótica. Assim é na nossa cidade. Podem dizer que não podemos ser tão dependentes de um outro cidadão. Eu penso: "Ainda bem que assim é." Tudo continua a corer mas sobrevive-se. A cidade fica incompleta sem ti, amor!"