domingo, junho 13, 2004

Abstenção

A praia, o futebol, a esplanada e os amigos, a família, tudo serve de desculpa para a abstenção. Eu exerci o meu direito de voto, votei em consciência, espero que tenha sido um voto útil. Se lhe chamo direito, deveria ser dever... Porque é que 64% ficaram em casa, não é só desânimo político. As mudanças fazem-se pelo voto, não por se ficar esparramado em cima de um sofá a ver futebol. Entristece-me este Povo que não se faz ouvir quando é a Hora Certa!

Espero que os meus filhos entendam que o País é mais do que uma bandeira na janela, é o dever de exercer os nosso direitos cívicos! Para que foram tantas pessoas exiladas pelo antigo regime, porque morreram mulheres pelo direito universal de voto? Para 64% de abstenção?

Os Americanos têm uma expressão interessante para o cidadão comum que passa a vida no sofá da sala, chamam-lhe "couch potatoe". Traduzindo à letra o povo português seria, bem chamado de, um bando de batatas de sofá.

Hoje já chega! Vou trabalhar que os professores têm que fazer de segunda a domingo!

quinta-feira, junho 10, 2004

Doe os seus ossos, vai ver que não custa nada!

Até 25 de Junho entregue, na farmácia, as suas radiografias. Deste modo estará a contribuir para a AMI e para um mundo melhor!

terça-feira, junho 08, 2004

Votar!

Acho que nunca pensei tanto em quem votar! Acredito que o meu voto faz a diferença e é importante por isso penso seriamente na minha escolha, vejo os tempos de antena, ouço-os na rádio e vou aos sites tentar perceber as suas ideologias.

As conclusões que tirei até agora:
- a esquerda preocupa-se mais com temas com os quais me identifico - problemas sociais, ecológicos, sem querer marginalizar ninguém;
- não existe um único partido de esquerda que me agrade na totalidade;
- os de direita usam palavras, que quando frequentemente utilizadas, provocam medo: nacionalismo, etnia, marginalidade...

se ao menos a frase fosse:
"o bom nacionalismo, aquele que cada um deve sentir, é o orgulho de todos sermos portugueses, debaixo do mesmo céu, compreendendo todas as etnias e dando um abraço fraternal, de Norte a Sul, para que pudéssemos acabar com a marginalidade que alguns sofrem ainda hoje..."
A grande família

Olho para as eleições que se avizinham e vejo dois manos nas extremidades. Cada um com os seus amigos e ambos com ambições. Que grande família esta a da política! Suponho que não serão casos únicos, mas outros ficarão mais unidos na escolha partidária e não ocupam posições tão públicas. E eu que não gosto de extremos imagino: se a´URSS comunista era de extrema esquerda e a ditadura Nazi de extrema direita porque é que há pessoas que ainda fazem coligações com indíviduos que se revêm nas extremidades. Ou a memória do mundo é curta, ou eu sou míope ou todos devem pensar que o povo português é tão pouco crítico que não interessam as ideologias - é como os clubes de futebol - o que interessa é a cor da camisola. Eu prefiro pensar que o problema está nos meus olhos!

domingo, junho 06, 2004

Sobre as Eleições

Esta cidade diverte-se a observar os tempos de antena. Existe um partido, de índole nacionalista, que gostámos particularmente da ligação imagem/textos - os portugueses = homens, 30's e de fato e gravata; grupos problemáticos = jovens negros ou emigrantes de leste. Felizmente, as eleições europeias são de uma europa livre e de todas as cores e feitios. O tempo de antena do Partido Humanista mostrou tudo isso, uma integração pluri-racial e multinacional. Sobre as eleições - nós vamos votar: em que partido - ainda é uma incógnita.
FDS is over!

Para os que não sabem, quer dizer, o fim de semana acabou. A cidade abasteceu-se de mantimentos até quase ao final do Euro2004. O próximo mês estaremos reclusos na cidade e nunca, mesmo nunca, nos deslocaremos para uma outra cidade com estádio maior que o da cidade de Seia.

quarta-feira, junho 02, 2004

Eleições

Eu irei exercer o meu direito, pelo qual tantas mulheres lutaram. O maior problema é saber em quem. Ficarei pelo porquê? Por um mundo melhor, por uma europa melhor - sobram, para já dois - o Movimento da Terra ou os Verdes - fica a pergunta - mas afinal quem é que nos representa por estes? Ainda sobra o voto em branco... Certezas, certezas, exercerei o meu direito de voto.
Festa na cidade

Ontem houve festa na cidade. Anda, no entanto, um pouco vazia!